Site Overlay

O impacto da Inteligência Artificial no Marketing Digital!

O impacto da Inteligência Artificial no Marketing Digital!

Já todos sabemos da importância de estarmos preparados para o futuro, olhar para além da nossa zona de conforto e, até mais nos dias de hoje, estar preparados para eventualidades menos agradáveis!

Numa coisa podemos concordar… o poder humano de adaptação é inigualável. Digo isto pois, devido ao cenário pandémico por que passámos (e ainda estamos a passar), as empresas foram obrigadas a adaptarem-se e encontrar novas formas de prosperar… e muitas fizeram-no!

Efetivamente, um bom empreendedor tem a habilidade de olhar para o futuro, estar um passo à frente, e preparar-se para mudanças que se encaram inevitáveis. É esta habilidade que permite encarar mudanças que podiam impactar negativamente o negócio, e utilizá-las como oportunidades. E esse, é um dos principais fatores que nos permite prosperar num mundo em constante mudança.

Eu vejo desta forma… imagine que tem um negócio num específico nicho, por exemplo, cerveja artesanal! Agora imagine os seguintes cenários:

  • Um concorrente novo apareceu! Este, produz uma cerveja melhor que sua e consegue distribuí-la a um preço mais acessível.
  • Foi publicado um estudo em que o Lúpulo, ingrediente essencial à sua cerveja, é um produto considerado fazer mal à saúde!
  • Os seus fornecedores tiveram problemas com colheitas, devido a um inverno menos brando, e agora as taxas sobre a importação dos produtos aumentaram consideravelmente!!!

O erro que a maioria das empresas comete é pensar que o seu produto, ou negócio, não irá ser afetado por eventuais acontecimentos no futuro. E isto é errado!  Qualquer uma das hipóteses anteriores pode abalar, por exemplo, o seu negócio de cervejas artesanais, por melhor que este esteja estabelecido.

Podemos então concordar que, estar preparado para o que aí vem, analisar possibilidades, oportunidades e preparar-nos para elas é, sem dúvida alguma, obrigatório! No Marketing Digital, como em qualquer outra área digital, isto não é diferente!

Mas afinal, o que é que aí vem?! Bem… não é exatamente o que aí vem, mas o que já é realidade… estou a falar da Inteligência Artificial!

O que é a I.A. (Inteligência Artificial) e o “Machine Learning”?

O que é a I.A. (Inteligência Artificial) e o “Machine Learning”?

Olhar para além da zona de conforto, também é algo essencial no Marketing Digital. Se pensarmos no que é que, definitivamente, vai impactar esta área, certamente que a Inteligência Artificial e o Machine Learning, estão no topo da lista.

Efetivamente, estas são duas realidades que têm o poder de alterar, quase por completo, metodologias de Marketing Digital, e tornar obsoletas antigas estratégias de sucesso. E isto, é algo que está a acontecer AGORA!

No entanto, antes de comprovarmos os impactos efetivos no Marketing Digital, comecemos por analisar, sucintamente, estes conceitos distintos, mas que, apesar de relacionados, são muitas vezes são assumidos como o mesmo.

O que é a Inteligência Artificial (I.A.)?

Podemos assumir a Inteligência Artificial como algo, software ou hardware, desenhado para parecer inteligente! Ou seja, levar algo a agir, a tomar decisões e ações que normalmente consideraríamos as de um humano… ui! Vamos a exemplos… é melhor!

Há, essencialmente, duas formas de Inteligência Artificial (I.A.):

  • Inteligência Artificial Fraca (Weak AI) – Essencialmente uma forma de I.A. que é desenhada e programada para uma tarefa em específico. Por exemplo:
    • Um carro que conduz sozinho – Aqui a I.A. consegue identificar a posição de vários carros em simultâneo e tomar ações tais como: acelerar, travar, alterar a direção, etc.
    • NPC’s (Non-Player Character) de um jogo de vídeo – Se já alguma vez jogou um jogo com algum tipo de história associada, se calhar reparou que existem algumas personagens que agem como humanos tendo até, em muitos casos, com personalidades distintas (algo comum em géneros RPG).
  • Inteligência Artificial Forte (Strong AI) – Este é o tipo de I.A. que vemos, por exemplo, nos filmes de ficção científica! Trata-se de algo produzido para, de forma completa, agir como um humano, com a possibilidade de fazer tudo o que este faz. Aqui não vos vou dar um exemplo prático porque, efetivamente, vai muito além dos meus conhecimentos… e ainda meto os pés pelas mãos! No entanto, que tal darem uma vista de olhos no projeto Google Deep Mind?!

O que é o Machine Learning?

Apesar de muitos de nós pensarmos que o “Machine Learning” é a mesma coisa que a Inteligência Artificial, este conceito trabalha de forma diferente!

O conceito de Machine Learning é baseado na análise de grandes quantidades de dados… e é através da análise e associação de esses dados que um software pode ser treinado. Ou seja, à diferença da I.A, que é programada para agir como uma pessoa, através do Machine Learning um software pode ser treinado, e aprender através de tentativa e erro.

O exemplo mais obvio, resultante do uso deste conceito, é a Visão Computacional (Computer Vison). Ou seja, a habilidade de analisar e interpretar informações visuais, por exemplo, por um computador.

Se pensar, esta realidade anda consigo todos os dias no bolso. É verdade! Alguns dos exemplos mais conhecidos são:

  • Google Lens – Uma aplicação que reconhece, mesmo que às vezes mal, o objeto para que está a apontar a camara do seu smartphone.
  • Google Fotos – Talvez o exemplo mais conhecido. Através da análise de um enorme volume de dados, neste caso fotografias, a aplicação consegue criar padrões nas suas fotos, identificar onde estão as pessoas, animais de estimação, localização das fotos, e até sugerir-lhe álbuns, pequenos vídeos, GIF’s animados, etc…
  • Filtros de realidade virtual – Muito usado em aplicações como o Messenger ou Snapchat, que permite aplicar filtros à sua cara.

Se pegarmos no exemplo do Google Fotos, o algoritmo, que lhe dá a capacidade de “Machine Learning”, nunca irá saber para o que é que está a “olhar”, mas consegue criar padrões nos dados analisados e utilizá-los para identificar, neste caso, fotos semelhantes, sempre que estas sejam carregadas.

Como vemos, o Machine Learning tem um enorme potencial. Prevê-se este conceito seja utilizado em todas as áreas num futuro muito próximo, e utilizado em funções, tais como: diagnosticar doenças, de uma forma muito precisa; aconselhar as empresas através da análise da sua tesouraria; identificar transferências bancárias fraudulentas; entre muitas outras…

A Google, o Machine Learning e a Inteligência Artificial!

A Google, o Machine Learning e a Inteligência Artificial!

A Google anunciou, há uns tempos, que se tornou numa AI-First Company. Ou seja, uma empresa em que a Inteligência Artificial vem em primeiro lugar.

Numa primeira análise, podemos considerar esta proclamação como apenas uma “jogada” Marketing, mas não é! Efetivamente, a Google já é uma empresa que usa I.A. há bastante tempo. O que está a acontecer é que, a Google, está a ficar cada vez mais “inteligente”, sendo algo que tem, incontestavelmente, impactos no Marketing Digital.

Repare… conhecemos a Google principalmente pelo seu motor de pesquisa. Aliás, foi o primeiro produto alguma vez fornecido, e que muitos de nós associamos à empresa.

Ora, o tradicional motor de pesquisa da Google não tinha muito de I.A.! As pesquisas funcionavam, simplesmente, pela relação de certas Keyword e Termos de Pesquisa, dentro do conteúdo de uma página. É por isso que um dos conselhos para um bom SEO é, efetivamente, utilizar os seus termos e keywords, no decorrer do seu texto/conteúdo.

No entanto, como sabemos, isto não funcionava da forma que a Google queria! Isto porque, há muitos “marketeer” que abusam do sistema ao inserir “toneladas” de termos e keywords num artigo. No entanto, como o meu amigo João Correia diz, “A Google não gosta de chicos espertos!”

O que acontece agora, depois de a Google começar a evoluir mais a sua tecnologia de I.A., é que a o foco já não é, apenas, encontrar keywords e termos nos artigos (até porque sem keywords ou termos não há relação), mas sim apresentar-lhe uma resposta! Ou seja, uma resposta para aquilo que procura.

O objetivo é tentar perceber o contexto da sua pesquisa, dos seus termos, verificar a consistência dos conteúdos, relação entre frases, e verificar se num todo, o conteúdo responde à sua pesquisa. É aqui que entra o Rank Brain…

O que é o Rank Brain?

Diretos ao assunto… Rank Brain é o algoritmo responsável pelo aprimoramento, baseado em Machine Learning, do motor de pesquisas da Google.

Este algoritmo permite, entre outras aspetos, identificar familiaridades entre palavras, analisar sinónimos relacionados com os termos introduzidos, e analisar o contexto em que, um determinado conjunto de palavras, se insere num artigo.

Para além disso, o algoritmo também consegue perceber as relações existentes entre palavras. Por exemplo, um dos erros iniciais da Google era descurar conjunções adversativas. Ou seja, palavras tais como: Mas; Porém; Contudo; No entanto; Apesar disso; Mesmo assim; etc… algo que não acontece atualmente. O Rank Brain consegue perceber a importância destas palavras na fluidez de um artigo, e a mais valia que estas representam para o utilizador.

Adicionalmente, como o próprio conceito Machine Learning indica, o algoritmo Rank Brain tem tendência a melhorar com o tempo. Algo que é possível através da análise de milhares de milhões de pesquisas diárias, executadas no motor de pesquisa da Google.

Outro aspeto interessante, que me esqueci de mencionar, é a possibilidade de o algoritmo se adaptar-se à sua personalidade. Ou seja, se como eu tem uma conta Google, e a tem “logada” no seu browser, Smatphone, Laptop, etc… as suas pesquisas, cliques e ações vão ficar associadas à sua conta e, deste modo, o seu perfil irá refletir aquilo que são os seus interesses.

A Inteligência Artificial e o impacto no Marketing Digital!

A Inteligência Artificial e o impacto no Marketing Digital!

A pergunta que se coloca agora é… qual será o impacto destas mudanças no dia-a-dia de um profissional de Marketing Digital? E atenção que, muitas das vezes, principalmente em start-ups e pequenas empresas, o profissional de Marketing, o administrador, o comercial e o gestor da empresa são a mesma pessoa… acredito que muitos saberão o que estou a dizer!

Bem, mas a resposta é simples… não há nenhum impacto! Pelo menos um impacto negativo, porque positivos há muitos. Calma, eu explico…

A moral da história aqui é que o Google está cada vez mais inteligente, graças ao seu algoritmo baseado em Machine Learning, e comporta-se cada vez mais como uma pessoa, devido à sua I.A..

Por seu lado, um bom profissional de Marketing Digital, apenas cria conteúdo relevante, constante, coerente e de valor para uma determinada pessoa!

Está a ver onde quero chegar?! Acho que já percebeu… Se o Google se comporta cada vez mais como uma pessoa, se o seu target é uma pessoa, e se você já é dedicado a produzir conteúdo para uma pessoa, o impacto só pode ser positivo.

A única coisa que tem de fazer é continuar a fazer um bom trabalho, e pensar sempre na pessoa do outro lado. Foque-se nas pessoas e o Google vai ajudá-lo! Tão simples como isso…

Caso esteja a começar, confira este artigo onde ajudo-o a criar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo! Estou certo de que o poderá ajudar no processo…

Bem… eu tinha muito mais para escrever sobre este assunto, e sei que passei alguns pontos importantes à frente, como é o caso da Pesquisa Semântica e do LSI (LATENT SEMANTIC INDEXING), mas ficará para uma segunda parte! 😉

Não se esqueça, se achou este artigo interessante, subscreva aqui as nossas notificações e, se tiver alguma sugestão ou questão, envie-nos mensagem!

Até breve…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll Up